quarta-feira, 26 de março de 2008

O violão




Ela estava a observá-lo da sua cama, ali num dos quatro cantos de seu quarto. Já não tinha mais tempo para depositar nele, com a correria da faculdade, trabalho e namoro mal sobrava tempo para si mesma.Ele por sua vez, também retribuía o olhar, relembrando saudoso da época em que ela o dedilhava suavemente naquelas tardes em que o sol brilha e a brisa acaricia...Tardes onde somente os dois trocavam confidencias através de notas musicais, quando ela ainda tinha tempo para dedicar-se a estes prazeres.
Mas agora o que lhe resta é somente um canto esquecido e sua capa empoeirada.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Natal


Era noite de natal, as multi cores do pisca - pisca dançavam ritmadamente entre os galhos do enfeitado pinheiro natalino.
A ceia posta à mesa e o relógio acabaram de anunciar que chegara a meia noite.Isso significava duas coisas; primeiro mistério sobre os presentes seria desvendado.E segundo fatias suculentas de peru logo estariam em seu prato.Os familiares começaram a troca de presentes, cada um recebera o seu, o dela estava num embrulho dourado (Ohh!Era um livro!),na capa uma árvore sobrepondo o entardecer, ela o abriu, na contra – capa a dedicatória da família, algo como: “Viva sua vida plenamente!” e logo abaixo uma frase de Sócrates que dizia “Quando penso que já encontrei as respostas para tudo, a vida vem e muda as perguntas”.
A cada dia ela lia mais um pouco, caminhando pelas páginas num chão de letras e a cada caminhada ela lembrava um pouco mais de alguém que havia esquecido a alguma tempo(sem saber o por que do abandono)...
Ela mesma.
E daquela noite em Diante o dia de natal celebrava não só um nascimento, como um renascimento.


terça-feira, 4 de março de 2008

Mágica ou Ilusão


As doces palavras que escorrem dos teus lábios,
Seriam mágica ou ilusão?
E todos seus gestos gentis,
Verdadeiros ou enganosos?
Trazes no olhar,
Encontro ou perdição?
Os planos que fazes,
Sonhos ou distrações?
E quanto aos beijos,
Trazem o mel do mais puro amor
Ou o fel do desengano?
Questões que só o tempo evidencia.